Categorias

Newsletter

  • http://chocoladesign.com/wp-content/uploads/2016/04/shutterstock_252136366.jpg
    Business Empreendedorismo Seja freela

    10 mentiras que os designers contam para seus clientes

    Para celebrar o primeiro de abril, um texto para refletir sobre aquela “mentirinha”, que todos já contamos.


    O fato de contar todos esse pontos e dicas, não quer dizer que eu consigo aplicar todas o tempo todo, seria uma mentira. Mas tento o tempo todo chegar o mais próximo dessas atitudes.

    Meu valor para esse projeto é $$$$

    O blefe faz parte de toda negociação, para orçamentos, prazos e etc, porém em alguns momentos a justificativa para seus blefes não podem ultrapassar a realidade. O que define um orçamento para um projeto, além das horas envolvidas, é a responsabilidade que a qualidade do projeto irá te tomar de tempo. Alguns projetos, o cliente só irá acompanhar o início e fim, outros irá acompanhar cada etapa, exigindo muito do seu tempo. O volume de pessoas que irão ser impactadas com o projeto pode influenciar no orçamento, mas uma das mentiras que os designers contam é o valor alto como um blefe. Par chegar a uma margem para negociação, o que é normal e acho que não tem problemas. Mas cuidado para não ser pego cobrando pelo mesmo projeto X e 10X para outro cliente.

    Consigo entregar em XX dias

    O prazo é um dos pontos principais que irão te diferenciar de todos os outros profissionais, e não o fato do seu prazo ser maior ou menor, mas que o prazo que se comprometer seja cumprido.

    Por muito tempo em meu início de carreira, passava prazos que meus clientes gostariam, virava noites, mudava meu planejamento nem sempre tudo corria como o planejado, sem contar que a qualidade podia ser prejudicada.

    Vou repetir muito isso aqui, quanto mais transparente a relação, melhor será para ambas as partes. Tenha isso como hábito, passe prazos que possa cumprir e se possível coloque uma margem de segurança. Garanto que seus clientes irão te indicar e recomendar pois confiam em você.

    Em casos raros, isso pode acontecer. Faça com que sejam raros e não um hábito, mas quando acontecer, deixe claro para seu cliente que o prazo para o projeto é o inicial, e deixe claro que vai fazer o possível para atingir o prazo necessário, mas que devido a um prazo curto, algo será comprometido.

    Outra questão importante sobre prazo é a realidade sobre o prazo, quando passa um prazo, tem que avaliar se é o tempo que o projeto irá levar para ser concluído, ou devido a seus outros projetos. Por outro lado, tem que construir a habilidade para entender quando um job é pra ontem realmente ou se o cliente só quer aquilo para aquela data, questione os porquês do seu cliente, mas tome essa decisão sobre a data da entrega em conjunto.

    E claro, caso algo aconteça, lembre-se de avisar com antecedência, para que o cliente tenha tempo para tomar as atitudes nescessárias.

    Esse Job é Fácil / Esse job faço rápido

    Vamos ser bem diretos, não existe job fácil, não existe job rápido. Tudo pode acontecer em um job que envolve aprovação de outras pessoas. Não subestime o seu cliente, em um momento de briefing todos querem ser legais em ambos os lados, mas não é a realidade, somos indivíduos diferentes e isso gera pontos de vista diferentes. Não existe job fácil, ou aquele famoso “é simples”. Documente o que será feito e o que está prometendo entregar, as vezes em jobs fáceis não damos a devida atenção ao projeto como em projetos grandes. E como seu cliente não tem experiência, quando ele te mandar uma lista de alterações, você não pode negar sua primeira frase – “Esse Job é Fácil”. Junto do seu projeto, documente toda a conversa, referências e tudo que justifique o “Job Fácil”.

    O Cliente tem sempre a razão

    Essa é uma afirmação perigosa, o projeto é resultado da sua experiência com as necessidades do cliente. Na maioria dos casos o cliente é a pessoa que melhor conhece seu público e isso deve ser respeitado. E junto a esse conhecimento acompanham experiências e gostos pessoais.  Essa combinação em uma relação onde ambas as partes se escutam, pode ser a combinação perfeita. Mas em alguns momentos para evitar atritos em nome da afirmação “O cliente tem sempre a razão”, ignoramos nossos instintos e conhecimentos, concordando com as mudanças mais absurdas do cliente. Precisamos equilibrar essa inevitável situação e mesmo quando decide concordar com seu cliente, deixe claro caso não concorde com a mudança, mesmo alterando, argumente até onde conseguir sem arranhar a relação.

    Ninguém me ama, ninguém me quer

    Muitos designers em início de carreira reclamam de seus clientes, reclamam do material que recebem, reclamam do tal logo que não veio em curvas, reclamam das decisões do cliente e de estratégias para o projeto. Eu sei, realmente quando buscamos o melhor, acreditamos que o melhor é o que pensamos, mas o melhor é o meio-termo entre as decisões do seu cliente, as suas e o que o público a ser impactado precisam. Perca menos tempo reclamando, e mais tempo argumentando com exemplos e referências, aprenda a ceder quando o cliente está certo, não é um cabo de guerra, é a busca por um objetivo comum. Vou dividir duas frases que gosto muito sobre isso:

    “Sozinho chegamos rápido, juntos chegamos mais longe”

    “Você é responsável pelo tipo de cliente que cultiva”

    Meu cachorro comeu minha lição de casa

    Ninguém está livre de imprevistos, uma doença na família, ou até sua, um cliente com uma urgência, ou até mesmo uma falta de organização. Mas de qualquer forma, são assuntos pessoais e não é profissional usar sua vida pessoal sendo verdade ou não como argumentos para atrasos e etc. Dependendo da relação é normal dividir, mas profissionalmente não é uma justificativa, é apenas um esclarecimento para o atraso ou qualquer que seja o problema que esse imprevisto causou. Quanto antes avisar seu cliente que algo aconteceu, se desculpar e apresentar soluções para o ocorrido, melhor será para que seu relacionamento continue impecável.

    Meu portfolio não está pronto.

    Esse é um dos maiores problemas dos designers, eu inclusive. Esperar o job perfeito para concluir, ou usar a desculpa da falta de tempo como desculpa, ou até mesmo a dificuldade de montar seu portfolio online por não trabalhar na área.

    Vamos acabar com todas essas desculpas!

    Bons jobs se criam, você pode colocar projetos fictícios(sinalizados), o que importa é um seleção compacta baseada nos seus objetivos como profissional.

    Hoje existe uma infinidade de sites onde pode publicar seu portfolio: Behance, Squarespace, Dunked, All You, Carbonmade e Cargo Collective

    Agora em relação ao tempo, você tem que priorizar o que é importante pra você, e para sua carreira, tudo começa com seu portfolio.

    Illustrator é melhor que Corel

    Quem hoje vê grandes rivalidades como Corinthians e Palmeiras, Brasil e Argentina, Coxinhas e Petralhas, ignora a grande rivalidade do mundo dos designers que é a escolhe de softwares. Essa grande rivalidade se baseia no pedigree que um software tem perante o outro. Hoje os designers são baseados nos óculos com armação grossa, produtos da Apple, como nomeiam um logo, se alguma vez já usaram Comic Sans e se usam illustrator ou Corel. O que é uma grande besteira, somos designers antes mesmo de produzir um projeto, o nosso olhar e a maneira como através de nossos estudos chegamos a resultados, ou analisamos se um projeto atingiu seus objetivos é o que nos torna designers. Não existem softwares de conceitos, são apenas ferramentas para auxiliar nossos conceitos a concluir o projeto. Eu uso illustrator, mas se você usa qualquer outra ferramenta embasado em conceitos, está no caminho certo. Como vivemos em sociedade, lembre-se que seus arquivos serão usados por outros profissionais, então é sempre bom verificar como deve entregar seus arquivos e quem irá trabalhar neles além de você.

    Não se preocupe, o que não sei fazer, aprendo.

    Quem nunca recebeu um pedido para algo que desconhece, uma técnica diferente do seu estilo ou um projeto que nunca fez. A resposta para todas as perguntas está na internet, qualquer projeto, qualquer estilo está na internet, basta procurar com as palavras certas. Esse fato gera uma certa confiança que tudo é possível. Aceitar um projeto sem a experiência tem seus riscos e riscos devem ser divididos, seu cliente deve ser o primeiro a saber que nunca fez o projeto e se ele quer arriscar. A execução é só uma parte do projeto, a experiência é que nos faz ganhar tempo e entregar um projeto de qualidade. Negocie com seu cliente que fará alguns testes antes de se comprometer, que vai fazer alguns estudos antes que aceite o projeto.

    Não preciso dormir, adoro Café

    Na nossa profissão e em mais algumas, virar a noite trabalhando e o amor pelo café e seus efeitos, são quase como o nosso Sexo, Drogas e Rock’nRoll. Virar noite vai acontecer, realmente faz parte, mas não pode ser um rotina e motivo de orgulho. Com o tempo podem resultar em doenças e acabar com sua energia criativa. Já fiz jobs que me orgulho muito na madrugada, mas os efeitos de noites mau dormidas irão se refletir no seu corpo, humor e qualidade. Se você funciona melhor na madrugada, ótimo, mas não esqueça de compensar a madrugada dormindo pela manhã.

    FIQUE ATUALIZADO !

    Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

    I will never give away, trade or sell your email address. You can unsubscribe at any time.


    Also published on Medium.


    • Belo post, Vinny!

      Jogou luz sobre vários aspectos importantes. O lance do “o que eu não sei, eu aprendo” é bem complicado mesmo.

      Essa semana mesmo abri mão de um projeto. Era uma integração com uma API que não conhecia. Eu iria acabar superfaturando o projeto porque teria que aprender a usar a API. Acabei preferindo abrir mão, mas sempre fica aquele pensamento “de repente eu poderia ter pego pra garantir as contas do mês.”

      Abraço!

      • Vinny Campos

        Quando é assim, mesmo depois de negar, porque não tenta, pode ser um novo conhecimento para um próximo job.

    • Stherno Yudah

      Concordo… mas o Illustrator é muito melhor que o Corel!!!!

      • Weberson Soprano

        Vou discordar! O Corel é pior do que o Illustrator!

      • Vinny Campos

        kkkkk… quem gosta de illustrator é coxinha ou petralha?

    • Muito boa as dicas, a galera que trabalha hoje ainda comete os mesmos erros do passado, seu texto foi conciso e bacana.
      Parabéns!

      • Vinny Campos

        Obrigado Rick!

    • Bruno Geraldo

      eu começei a um ano, e ja fiz muitas dessas ao longo do caminho, e nem sou design formado, sou estudante de engenharia, mas funciono melhor a noite mesmo, a minha manhã é para dormir e meu cafe da manhã é almoço

    • Felipe Milianos Fink

      Prazo – Sempre dou um prazo maior do que o previsto, já contando com algo que acontece com muita frequência: Vacilos de gráficas.

      Sobre qual ferramenta ser pior ou melhor – Uso Corel e nunca tive qualquer tipo de problema, porém, sei usar tanto um quanto o outro, pois acho que aprender sobre cada um deles, é um ótimo exercício. Fora que existem clientes que também preferem que seu produto seja criado por determinada ferramenta então, é importante se aprofundar em todos programas possíveis de edição.