Categorias

Newsletter

  • Design Design Gráfico

    Conhecendo os Tipos – Parte 2

    Vocês já conhecem os tipos Serifados e os Sem Serifa, certo? “Não.” Hmm… bom… então clica ali em cima e dá uma lida, que […]


    Vocês já conhecem os tipos Serifados e os Sem Serifa, certo?

    “Não.”

    Hmm… bom… então clica ali em cima e dá uma lida, que tal?

    Mas se a sua resposta foi “Sim!”, “Claro!” ou “Anda logo e continua isso, tio.”

    Então primeiramente, tio não.

    E segundamente (?), vamos aprender um pouco sobre as classificações dos tipos! (Como sempre, vale lembrar que, de acordo com a fonte de pesquisa de cada um, certas nomenclaturas podem mudar).

    Os tipos de Tipo (tá, a piada foi sem graça.)

    As fontes podem ser divididas em:

    Serifadas

    • Humanistas
    • Transicionais
    • Modernas
    • Egípcias

    Sem Serifa

    • Humanistas
    • Transicionais
    • Geométricas


    Serifadas

    A serifada humanista

    São as mais próximas dos traços manuais, tentam emular a caligrafia clássica. Se olhar de perto você pode reparar que suas serifas são um pouco irregulares e os traços que compõem as letras não possuem muita diferença de grossura.

    conhecendo-tipos-2-01-650x203

    A serifada transicional

    Com a modernização das técnicas de produção dos tipos começa haver uma maior distância da caligrafia clássica. Com suas serifas mais afiadas, letras desenhadas com traços mais retos e curvas mais consistentes, as transicionais são as nossas queridas Times New Roman, Georgia, Baskerville entre muitas outras.

    conhecendo-tipos-2-02-650x203

    A serifada moderna

    As serifas modernas possuem como maior característica os seus traços com contraste fortíssimo. Além disso, possuem serifas finas e retas com traços e desenhos mais retos e bem definidos.

    conhecendo tipos 2-03

    A serifada egípcia

    Adotadas lá pelo século XIX para propagandas, as serifadas egípcias possuem serifas grossas e retangulares. E o que elas tem de egípcias? Na realidade, praticamente nada. Mas seu estouro foi junto a época em que Napoleão estava em sua campanha no Egito e o fascínio das pessoas por sua cultura cresceu muito, e por confusão das pessoas elas acabaram sendo conhecidas por este nome.

    conhecendo tipos 2-04

    Sem serifas

    A sem serifa humanista

    Da mesma forma que sua irmã serifada, possuem traços mais orgânicos. Seus traços menos definidos e variações no peso dos traços dão essa dinâmica caligráfica a elas.

    conhecendo tipos 2-05

    A sem serifa transicional

    Traços mais retos e com pouca variação entre eles. Costumam ser chamadas também de sem serifa anônima por causa da aparência menos expressiva de suas formas. Fontes como Helvetica, Univers e Arial são transicionais.

    conhecendo tipos 2-06

    A sem serifa geométrica

    Inspirada em formas geométricas, podem possuir círculos perfeitos, elipses calculadas, ângulos afiados e linhas retas. Não costumam ser as mais legíveis para blocos de texto extensos, mas têm uma aparência muito moderna.

    conhecendo tipos 2-07

    Conhecendo essas pequenas diferenças entre as classificações fica cada vez mais fácil entender e compreender como cada fonte é diferente e como fica mais simples escolher uma família quando se sabe que tipo de fonte se quer.

    Até a próxima gente!

    FIQUE ATUALIZADO !

    Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

    I will never give away, trade or sell your email address. You can unsubscribe at any time.


    • Jarbe Gilliard

      Parabéns pela didática. Excelente post.

    • O que seria a dinâmica, citada na fonte sem serifa humanista?

      • Mamoru Miyagawa

        A “dinâmica” que citei são essas pequenas mudanças na própria dinâmica do traço (em traços mais humanistas voce verifica que as linhas que compõe os tipos não são tão homogêneos. Você pode ver melhor dando uma olhadas nas próprias fontes. Procure por Dax, Gill Sans (citada ali em cima), Myriad…

    • Fernanda Serodio

      Esses posts mais bem humorados são muito melhores de ler do que os “simplesmente” didáticos. Incrível aprender e ainda dar umas risadinhas durante o texto. x)

    • Bem bacana o Post Mamoru. Conheço um pouco sobre os tipo, mas é bom relembrar.
      Concordo com a Fernanda Serodio, fica mais interessante do que simplesmente estudar os tipos em livros didáticos, aquela monotonia.

      Parabéns

    • Caio Flavio

      não existem tipos modernos sem serifa?