Revista C+ | Choco la Design | Design é como chocolate, deixa tudo mais gostoso.
Categorias

Newsletter

  • Brand

    Marcas e suas Mascotes

    As mascotes fazem parte da comunicação das marcas, realizando um papel de porta-voz e mediador entre os produtos e o emocional do público.


    Atendendo a pedidos, hoje vou abordar um tema que tem voltado aos holofotes na estratégia de marca de algumas empresas: o uso de mascotes.

    As mascotes fazem parte da comunicação das marcas, realizando um papel de porta-voz e mediador entre os produtos e o emocional do público. Podem estar presentes nas embalagens, comerciais, eventos ou apenas em alguma campanha específica, e na maioria das vezes, têm um apelo “fofo” e divertido, tornando estas personagens ícones que criam laços afetivos com o consumidor.

    É interessante perceber como algumas das maiores mascotes estão presentes no imaginário do consumidor há décadas, sofrendo apenas algumas alterações de forma ao longo dos anos (uso de 3D, por exemplo) para continuarem relevantes e cativar novos fãs.

    Para exemplificar como as mascotes estão em alta novamente, algumas famosas mascotes como Bond de Boca, da Cepacol e Bocão da Royal voltaram repaginados em 2011 para promover novos produtos destas marcas.

    “A principal vantagem da mascote é adotar formas flexíveis, qualquer objeto ou animal pode sofrer um processo de humanização. Eles se tornam familiares na vida das pessoas, construindo, dessa maneira, uma relação que vai além dos cartazes, das marcas, dos produtos, para fazer parte da cultura cotidiana”, explica Clotilde Perez, autora do livro “Mascotes, semiótica da vida imaginária”, da Cengage Learning.

    Percebe-se também como as mascotes acabam se tornando as vedetes em campanhas publicitárias e promocionais. Um exemplo é a mascote da marca Crocs, que “saiu de férias” em uma ação por 12 cidades brasileiras. A mascote passeou por vários municípios e de fato fez amigos, já que com esta ação o Facebook da marca teve um aumento de 45% no número de fãs e o twitter teve um aumento de 25% no número de seguidores.

    A escolha do nome da mascote também é uma maneira utilizada pelas marcas para criar laços com o público. Algumas marcas oferecem prémios aqueles que criarem os nomes mais bacanas para suas mascotes, como foi o caso da mascote da Bic, que buscava promover suas pilhas com a personagem Pilhadinho,

    E então, vamos lembrar algumas das mais importantes mascotes que habitam nosso imaginário?

    Tony The Tiger (Kellogg’s)
    Criado em 1952, é considerado uma das maiores personagens do século 20.


    Assolino (Assolan)
    A mascote, criada pela agência Africa, foi responsável pelo crescimento da Assolan e aumento na rivalidade com o concorrente e líder de mercado Bom Bril.


    Ronald McDonald (McDonald’s)
    Apareceu pela primeira vez em 1963. No meio do ano passado, centenas de médicos americanos assinaram um carta pregando a morte do palhaço, defendendo que o mesmo contribui pra a obesidade infantil.


    Lequetreque (Sadia)
    Criado em 1971 para promover o frango defumado da marca. Seu nome foi escolhido em 1985 pelos próprios consumidores. Ao longo dos anos, a personagem foi sendo modernizada até ganhar tratamento 3D, em 2007.


    Vivo


    Bocão (Royal)


    M&M


    Joe Camel (Camel)
    Polêmico, foi retirado do ar sob acusações de que influenciava crianças.

     

    Copas

     

    Android

     

    Baianinho (Casas Bahia)

     

    Quick Bunny (Nesquick)

     

    Bibendum (Michelin)

     

    Beijing 2008

     

    Chester Cheetah (Cheetos)
    Guepardo de personalidade “dissimulada”, faz tudo para comer um Cheetos.

     

    Toddynho

     

    Croslite (Crocs)

     

    Bunny (Duracell)

     

    Dino (Danoninho)

     

    Bond Boca (Cepacol)

    Até semana que vem!

    http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/mascotes-voltam-aos-holofotes-nas-estrategias-das-marcas?page=1&slug_name=mascotes-voltam-aos-holofotes-nas-estrategias-das-marcas
    http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/10-mascotes-que-ajudaram-a-popularizar-as-marcas?p=1#link

    Imagens: Divulgação


    • Marcel Neres

      Senti falta do Dillynho :(

    • Daniel Costa

      Cadê a galinha azul? :(

    • Yuri

      Cara, eu lembro que nos salgadinhos do Cheetos sempre vinha uma figurinha com o mascote, eu adora isso quando criança!

    • Marcos Antônio

      Muito bom.
      Gostaria de saber da onde tira tanta paciência. rsrsrsr

    • PEdro

      Faltou o Dollynho o seu amiguinho…huahauhau

    • Lucasgunsd

      Ótimo post. Por mim o do Mc não deveria existir mais também. 

    • Roja Lima

      Senti falta do Dillynho :(  [2]

    • Gustavo Ferreira

      pô senti falta da galinha azul da maggi e tambem do elefante da pomarola, fizeram parte da infancia de muitos designers! HAHAHAHA

    • wellington

      Gostaria de pedir opiniões dos Criativos….
      sou fotógrafo e estou criando minha identidade visual… estou em inicio de carreira e colocando a mão na massa, site, blog, etc…
      É suicídio criar um mascote para minha marca?
      Pelo meno até agora não site de nenhum fotógrafo com mascote…. será que seria uma boa?
      Qual a opinião de vc´s?