Categorias

Newsletter

  • http://chocoladesign.com/wp-content/uploads/2016/07/unicornio.jpeg
    Coding CSS Design Empreendedorismo HTML UX/UI Design

    O Dilema do Designer-Unicórnio

    O designer-unicórnio é um caso bem complexo de mitologia profissional, um dos maiores problemas atuais para os profissionais e para as empresas, como Patrick […]


    O designer-unicórnio é um caso bem complexo de mitologia profissional, um dos maiores problemas atuais para os profissionais e para as empresas, como Patrick Neeman, diretor da Apptio, WA, muitos criadores de startups procuram designers que sejam unicórnios, em tempo, ele explica:

    “Vocês sabem! Aquele cara que pode fazer design visual, analisar e projetar a experiência do usuário, escrever textos, e codificar todo o HTML e CSS para nós. Eles são baratos e fáceis de encontrar. Eles devem ser capazes de tirar o lixo, também. Oh! E lavar nossos carros vestindo um biquíni.”

    O Unicórnio é um animal mitológico que apesar de nunca ter sido visto, é descrito tendo a forma de um cavalo, geralmente branco, com um único chifre em espiral que pode realizar diferentes tipos de mágicas e poções sendo um verdadeiro multifunções, assim como o designer é um profissional que por consequência do inúmeros caminhos que pode seguir, também se torna multifunções, sempre tendo que estudar mais e aprender um pouco de tudo, para realizar seus trabalhos.

    Por tanto o designer-unicórnio é o mais procurado e mais raro dos membros das equipes de startups e empresas — alguém com excelentes habilidades de design de interação, de design visual e capacidade de desenvolver front-end, mas eles são caros, sofrem com excesso de trabalho, e geralmente não podem cobrir todas as bases, como anunciado. Os melhores têm mais de 10 anos de experiência e de consultoria para comprovar isso. Se você encontrar um desses, você vai pagar muito caro por ele.

    A maioria dos unicórnios controlam suas próprias agências ou constroem suas próprias startups porque eles podem. Suas habilidades são em tal demanda que podem dirigir o seu próprio destino.

    Braden Kowitz, sócio da Google Ventures, lamenta que a contratação de um designer é bastante difícil — mas à procura de um unicórnio pode ser uma busca infrutífera. Além disso, a maioria das empresas não sabem procurar e contratar um bom designer e suas expectativas irrealistas podem afastá-los. Seu trabalho é selecionar corretamente os recursos e evitar a necessidade de um unicórnio. Se você tiver que contratar alguém para cobrir muitos conjuntos de habilidades, você falhou em construir uma equipe certa. Trabalhar com um grande designer é a decisão mais importante que você pode fazer para o sucesso do seu time.

    Se você estiver procurando um unicórnio, muitos designers vão deixar passar porque o pedido vai mostrar uma falta de conhecimento sobre a construção de uma equipe.

    Eis algumas sugestões para evitar o papo de “nós precisamos de um unicórnio”.

    Contratar alguém com, pelo menos, duas das competências.

    É tudo sobre a regra “precisa de três, escolha dois”. O design de interação, o design visual, e escrever código. Escolha dois.

    Designer de Interação x Desenvolvimento Front-End
    Gostaria de contratar um designer de interação que pode construir protótipos quase prontos para produção em HTML e CSS, ele também pode treinar os desenvolvedores como fazer desenvolvimento front-end para aquilo que ele não fará futuramente.

    Designer de Interação x Designer Visual
    A outra combinação valiosa e mais comum é a soma de design de interação e design visual, porque eles podem ser utilizados para a produção de material de marketing. Se este for o conjunto de habilidades contratado, os desenvolvedores têm que pegar o HTML e CSS.

    Evite os burros de carga: pessoas que podem executar apenas uma tarefa.

    A razão pela qual a maioria dos desenvolvedores evitam fazer desenvolvimento front-end é porque é demorado e tedioso. Os desenvolvedores são um bem precioso, mas os desenvolvedores mimados levam as startups a falência. Se você está trabalhando em uma equipe menor, cabe a todos a puxar o seu peso. É parte do trabalho.

    Se eles são desenvolvedores de JavaScript, por exemplo, quem seria o primeiro candidato para essa segunda perícia, uma vez que já estão trabalhando no front-end.

    Se você tem uma equipe de pelo menos dois desenvolvedores, um deles deve ser capaz de desenvolver em HTML, CSS e jQuery. Se eles estão perdendo essas habilidades, ou acham que é “trabalho de outra pessoa,” considere seriamente qual é o valor de substituição de um deles e encontre um que satisfaça suas necessidades.

    Além disso, considere outros membros da equipe e da sua contribuição: Se você contratou um gerente de produto que apenas quer desenvolver recursos, mas não wireframe, escrever textos, fazer marketing ou ter outras habilidades, ele pode ser um estorvo. O mesmo vale para o designer visual que é “sobrinho” de alguém: Se tudo que ele sabe é Photoshop e não pode fazer HTML, ele não deve ser um recurso em tempo integral.

    A razão mais comum pela qual os unicórnios são necessários é porque o pessoal da equipe inicial não foi bem feito.

    Terceirize determinadas tarefas

    A melhor coisa sobre a web é que há um número enorme de recursos para ajudá-lo a encontrar o pessoas de tempo parcial. Será que vai ser a qualidade máxima do produto? Não, mas você vai chegar a um MVP bem desenvolvido.

    Abuse da regra KISS (keep it simple and stupid), usando layouts ásperos e básicos, o empecilho para isso que é que haverá mais sobrecarga de sua parte para avaliar as entregas.

    Desenvolvedores de front-end também pode ser encontrados através de recursos on-line como getninjas.com.br, eles vão pegar um arquivo photoshop, cortar-lo e dar o código final para a sua equipe principal de desenvolvimento. Haverá ainda o tempo de integração, mas este pode ser uma solução para este problema.

    Você também pode trazer consultores para rever o seu design de interação, se você está fazendo isso sozinho. Eles vão custar mais por um dia do que você iria pagar-lhes por hora, mas no longo prazo, os conselhos que dão podem fazer você repensar todo seu produto.

    Use modelos e frameworks

    Seu primeiro projeto não vai ser o desenho que você quer a longo prazo. Você vai projetar mudanças e reorganizar as idéias. Cada startup que já vi gastar um monte de dinheiro em design visual no início acabou perdendo a maior parte dele.

    A solução é usar templates fornecidos por sites especializados, como themeforest.com que têm toneladas de Photoshop e HTML em modelos pré-construídos, prontos para usar, e baratos — às vezes por menos de U$ 10. Eles são bons o suficiente para que o seu site pareça profissional, quando você sair para fazer testes de usabilidade.

    Outras opções também são o Twitter Bootstrap, Foundation e outros frameworks. Enquanto as iterações iniciais podem parecer centenas de outros sites, esses frameworks são fáceis o suficiente para a maioria dos desenvolvedores de back-end usarem e vão levá-lo a algo funcional.

    Há também uma tonelada de templates para eles, para que possa conectar um no outro, olhar e sentir o resultado com menos esforço. Eu tenho uma extensa lista de recursos que carrego comigo que uso constantemente nos projetos.

    Mantenha o básico.

    Repita depois de mim —  não é sobre destaque, não é sobre destaque, não é sobre destaque.

    É sobre evoluir o projeto para que você possa testar um produto inicial.

    Por mais que você queira que a sua primeira versão seja perfeita, você vai mudar de idéia várias vezes até encontrar momento certo no mercado. A coisa mais importante é ter a orientação certa para ajudá-lo a encontrar esse momento.

    FIQUE ATUALIZADO !

    Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

    I will never give away, trade or sell your email address. You can unsubscribe at any time.


    • Alice

      HAHAAHAHAAHAHA
      Trabalhar com equipe é realmente foda, é preciso deixar tudo bem claro e frequentemente realinhar os objetivos e funções.
      Viela 43

    • Ricardo Monserratt

      As circunstancias que levam a uma pessoa estudar até se tornar um designer unicórnio tem relação direta com a realidade de ser brasileiro não tem como negar isso,

      lembro da minha época de sobrinho em que estava aprendendo photoshop e surgiu a necessidade de criar um site, tinha um amigo desenvolvedor php que saiu no meio do projeto, dai fui fazer um curso de desenvolvimento e assim aconteceu com outros projetos.

      Aprender web mesmo sem um design formal me deu pelo menos a possibilidade de entrar no mercado de trabalho pra depois ter condição de formar em Design pelo IESB Brasilia curso que escolhi depois de desistir de Ciências da Computação.

      Dando uma visão não de dono mas de funcionário, se vc quer ser um profissional no brasil vai ter que aprender várias coisas que são periféricas ao que vc realmente quer fazer e sem isso não da pra competir

      São poucas empresas que entendem que existe um profissional especializado pra cada posição fora que o custo de cada funcionário é caríssimo para a empresa, assim poucas empresas conseguem estabelecer uma equipe completa e essas que conseguem se consolidar no Brasil são quase unanimes.

      O Design me deu a visão de projeto assim continuo estudando várias ferramentas que percebo que são necessárias para chegar onde eu quero, acredito que é o jeito até que vc consiga se posicionar em algum lugar do Design.

      Hoje estou montando meu próprio escritório e espero poder ter uma equipe bem redonda mas até isso acontecer vai ser na raça de aprender e ler bastante mesmo.